segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Lanchinhos saudáveis que combinam com férias

Imagem ilustrativa - Retirada da internet

Após as festas de fim de ano e a tão esperada viagem de férias vem sempre aquela vontade de voltar a rotina né?

As crianças voltam para casa mas ainda estão de férias, com isso os pais precisam colocar a cabeça para funcionar e o desafio é criar milhões de atividades para gastar toda essa energia que os pequenos tem.

Além disso já começamos a pensar no cardápio para escola, mudança de hábitos alimentares pra esse novo ano, correria, praticidade, trabalho acumulado, tudo vem de uma vez...

Um sugestão ótima é lavá-los para a cozinha e tentar fazer alguma receitinha bem saudável a fim de evitar aquela ingestão desenfreada de guloseimas. E eles vão amar mostrar para os coleguinhas as receitas que fizeram nas férias.

Por isso resolvi nesse mês de janeiro postar duas receitinhas que testei na semana passada. Elas servem como lanchinho para o dia a dia e também para a escola. São práticas, rápidas, podem ser congeladas para que nos dias de correria tenhamos sempre algo “a mão” e não precisarmos apelar para o industrializado, além de terem cara de lanche de férias.

Receita: Quibe de tilápia com quinoa

Ingredientes:
3 filés de tilápia frescos
uma xícara de quinoa em grãos cozida em água fervente (+/-12 minutos)
½ cebola picada em cubinhos
2 colheres de sopa de farinha de linhaça
dill ou endro para temperar a tilápia
Uma colher de sopa de hortelã e salsinha picadinhos
Azeite
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo:
Asse a tilápia temperada com sal, pimenta, endro, azeite, umas gotinhas de limão e um pouquinho de água em forno pré aquecido a 180o por aproximadamente 20 minutos.
Após assada e bem suculenta amasse o peixe com o garfo até ficar desfiada e reserve para esfriar.
Misture em uma tigela a tilápia, a quinoa já cozida, a cebola, a farinha de linhaça, a salsinha e o hortelã, corrija o sal.
Modele as bolinhas ou em formato de quibe e congele. Ou asse em forno médio por mais ou menos 10 minutos.
Lembre-se de colocar um fiozinho de azeite para untar a assadeira.
Rende mais ou menos 20 quibinhos.

Dica: Não faço bolinhos muito grandes para evitar que eles se quebrem. Você pode acrescentar outros ingredientes no seu quibe como legumes e verduras (cenoura, couve- flor, brócolis, espinafre) ou outros grãos e leguminosas (lentilha, grão de bico, semente de girassol, gergelim).


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Sale


Já começou!!

Peças lindas do Verão 2017 com até 40% Off + Outlet (coleções passadas) com até 70% Off!

Peças do Verão - Loja Física ou Whatsapp 31 98231.7293
Outlet - www.orabolinhas.com ou Loja Física

Aproveite!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Vamos cuidar melhor do preparo dos alimentos em casa?


Preocupamos tanto com a higiene dos lugares que frequentamos, mas será que ficamos atentos aos simples cuidados que podem ser feitos na nossa própria casa? Uma contaminação cruzada, pode causar uma infecção bacteriana muito severa em bebês e crianças. Fiquem atentos as dicas:

Higiene pessoal:

Lembre-se de lavar bem as mãos toda vez que for manipular um alimento novo; entre os dedos, o braço até o cotovelo, as unhas e a mão por completo. Esteja sempre com as unhas curtas e sem esmalte na cozinha. Lembre-se de enxaguar bem as mãos e secar com papel toalha descartável. Após esse processo aplicar o álcool em gel.

Usar tocas descartáveis diariamente. Nossos cabelos carregam muita sujeira de todos os lugares que passamos. Não queremos que isso caia nos alimentos né? Se por acaso cortar ou machucar a mão use curativo e luva para manipular os alimentos. Use avental limpo sobre a roupa.

Higiene dos utensílios:

- Substituir as colheres de pau por espátulas de silicone. A colher de pau deve ser banida da cozinha pois nas ranhuras da madeira se acumulam muitos micro-organismos causadores de doenças.
- As vasilhas para armazenamento de insumos na geladeira devem ser, preferencialmente, de vidro para que não haja contaminação. O vidro é de mais fácil e completa higienização do que o vasilhame de plástico. Além de ser um material estéril (ou seja, não absorve molhos, água, micro-organismos).
- Facas, colheres, tábuas e utensílios utilizados para picar e manipular alimentos crus, devem ser lavadas antes de usa-los com os mesmos alimentos já cozidos. Essa é a chamada contaminação cruzada que é muito comum na cozinha e pode causar sérias doenças as crianças. Portanto se você picar um peito de frango e depois coloca-lo para cozinhar, lave bem a faca e a tábua usadas para picar o frango cru, antes de colocar o frango quando ele estiver cozido.
- Não utilize pratos, travessas e copos lascados ou trincados e não deixe os utensílios expostos a poeira.
- Tenha sempre duas esponjas, uma para lavagem dos utensílios em gordura, como copos e xícaras, e outra para os com gordura, como pratos e panelas. Para higienizar as esponjas, basta fervê-las pelo menos duas vezes por semana e guarda-las em local seco. O tempo de troca é proporcional ao tanto que ela é usada, mas no máximo em 20 dias você pode substituí-la.
- Prefira as tábuas de vidro. Não use as de madeira. E se optar pelas de plástico, trocar com frequência.
- Prefira as panelas de vidro ou cerâmica. Elas são melhores de cozinhar e não passam nenhum metal para o alimento, promovendo saúde para a sua família.

Higiene do Ambiente:

- Ter uma lixeira na pia é o mesmo que cozinhar ao lado do lixo e perto de muito contaminantes. A lixeira com restos de comida é ótima para o crescimento de bactérias, que podem ser transferidas para os alimentos repousados na pia. O lugar da lixeira é no chão, com saco próprio trocado diariamente e abertura por pedal para evitar que as mãos toquem o lixo.
- Panos de pia devem ser descartados diariamente. Assim como os panos de pratos que devem ser utilizados apenas para secar pratos, copos e louças e lavados diariamente, deixando de molho em solução de água com água sanitária. O papel toalha é o melhor aliado da cozinha, apesar de pouco sustentável. A opção mais ecologicamente correta é utilizar sempre dois panos, um para secar utensílios e outro para secar as mãos. Não se esqueça de trocá-los diariamente. Ferver os panos é uma boa opção para retirar resquícios de gordura.
- Geladeiras e Refrigeradores devem ser lavados todos os dias, ou pelo menos, duas vezes por semana. Tudo que estiver armazenado dentro deles deve estar tampado e higienizado.

Manipulação de insumos:

- Não guarde enlatados na geladeira. Quando você abre um produto enlatado e usa apenas uma parte. A lata desse produto deve ser descartada e o que sobrou dele armazenado em potes de vidro com tampa e guardado na geladeira. É importante também sempre lavar a lata com água e sabão antes de abri-la.
- Evite quebrar os ovos na pia, use um talher para fazer isso. A casca do ovo é muito suja e pode contaminar outros produtos, ou ainda a pia pode não estar devidamente limpa e contaminar todo o ovo. Limpe bem a casca dos ovos antes de usá-los. Servi-los logo após o preparo.
- Para frutas, verduras, legumes e folhas. Retire as folhas estragadas, lave folha por folha (fruta pro fruta, legume por legume) em água tratada, tirando a terra e as sujeiras com as mãos. Feito isso lave bem as verduras com água corrente. Por fim coloque tudo em uma travessa com uma colher de água sanitária devolvida em um litro de água e deixe de molho por 15 minutos. Enxague e seque bem! Retire a casca dos alimentos que não forem orgânicos e as primeiras “pétalas” de cebolas, repolhos, alface pois essas são as partes das verduras que mais receberam agrotóxicos. Os orgânicos após bem higienizados podem ser consumidos com a casca, ou reutilizar a casca em chás, caldos, fazendo um arroz colorido, a massa de um bolo.
- Alimentos prontos não podem ficar em temperatura ambiente por mais de 30 minutos. Mantê-los aquecidos ou refrigerar para não proporcionar uma ambiente agradável para o crescimento de micro-organismos.
- Como você costuma verificar o tempero dos alimentos? Nada de utilizar as mãos ou a mesma colher que estiver usando no preparo. Use uma colher menor para provar, e lave após experimentar, não vale repetir a mesma colher pra provar outra hora ou outra preparação.
- Os alimentos devem ser descongelados de forma lenta, na parte de baixo da geladeira e nunca em temperatura ambiente.
- Feijões, lentilhas, grão de bico devem ser deixados de molho por pelo menos 24 horas antes de cozinhar. Em uma vasilha funda e de vidro colocar a leguminosa, cobrir com água, colocar umas gotinhas de limão ou vinagre na água. Enxaguar e trocar a água a cada 12 horas. Após o período mínimo de 24 horas de molho descartar a água e cozinhar em água limpa.
- Higienizar com água e sabão toda embalagem que for armazenada em geladeira, leite, pão, sucos, iogurte, etc.

São práticas simples e fáceis, que bastam entrar na rotina para ter mais qualidade e saúde na alimentação da sua casa. Pois nada adianta comprar produtos de “primeira” se o preparo não for adequado, não é mesmo?!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

O dia de chuva vira festa!


Toda criança ama brincar na chuva, na poça...e cá pra nós, tem coisa mais gostosa?

A linha da Kidorable, encanta a todos, pelas suas cores e estampas! Guarda-chuva, galocha e capa de chuva, para fazer a festa! 







Fotos: Patricia de Sá
Crianças: Chico, Enzo, Laura e Marina

Para visualizar os modelos disponíveis, clique aqui!
Confira todas as fotos do Editorial em nossa página no Facebook!




segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Saia da caixinha: Consumir leite vegetal não é ser natureba ao extremo


O leite de vaca é o novo vilão da alimentação né? Noto bastante receio dos meus pacientes em usá-lo ultimamente. Gostaria primeiro de deixar claro que eu não sou contra o leite de vaca, inclusive amo bebe-lo. Mas hoje não iremos falar dele, e sim de um substituto. Por isso... faça uma avaliação com a sua nutri para saber o mais indicado para você e sua família. Todo indivíduo tem suas particularidades e para cada caso uma prescrição de plano alimentar deve ser feita.

E, como digo, a natureza é perfeita, o leite vegetal é uma ótima alternativa para pessoas que não podem consumir o leite animal, para vegetarianos e veganos, para pessoas que amam o sabor dos leites vegetais e para quem, como eu, apenas gosta de variar e colocar mais nutrientes na vida.

Para o bebê ou criança pequena é uma boa pedida na hora de oferecer mais vitaminas, minerais, fibras e também gorduras benéficas. Na verdade, o dito popular acabou fixando as bebidas feitas com vegetais como “leite”. Leite porque alimenta, e pronto.

Eu gosto de orientar na forma de uma vitamina com frutas, aveia e gergelim para aumentar o aporte de cálcio ou então como substituto em receitinhas doces e salgadas. Acrescentar umas gotinhas de baunilha também é uma opção deliciosa.

Leves, de fácil digestão, ricos em minerais, vitamina E (aquela que previne doenças e o envelhecimento precoce das células pela sua ação antioxidante), contém também proteínas e gorduras boas que protegem o coração e diminuem o colesterol. Os leites vegetais não contém lactose, tem uma relação super equilibrada entre sódio e potássio (melhorando inchaços), são perfeitos para pessoas que realizam o processo digestivo mais lentamente e apresentam problemas de prisão de ventre e cólon irritável.

Outra importante característica dos leites vegetais é o baixo índice glicêmico, uma unidade que avalia a velocidade pela qual o consumo de um alimento promove o aumento das taxas de açúcar no sangue. Quanto maior for o índice glicêmico, maior é a velocidade pela qual a bebida ou comida em questão provoca picos de glicose no sangue. Já quando esse número é baixo, o nível de açúcar cresce aos poucos, de maneira consistente. Para quem sofre com diabetes, o ideal é ingerir alimentos com baixo índice glicêmico, que ajudam a controlar a taxa de glicose sanguínea.

Vamos aos “queridinhos”? O leite de amêndoas é super completo além de ter um sabor incrível. O de aveia ajuda muito no fluxo intestinal e na circulação sanguínea, ótimo para ser consumido pela manhã. O leite de arroz já foi classificado como semente da serenidade, devido ao teor de triptofano e vitaminas do complexo B que equilibram o sistema nervoso e o tornam relaxante. E o de castanhas do pará que são conhecidas como pílulas da felicidade fornecem energia e alto teor de selênio que “varre as impurezas das células”.

Ditos populares ou não, essas maravilhas são super fáceis de serem preparadas (eu não ia sugerir as caixinhas né?), deliciosas e ótimas para compor uma rotina alimentar mais completa.  Anotem as receitinhas, testem e nos contem a experiência.

LEITE DE AVEIA
Coloque 150 ml de aveia em flocos de molho em 1 litro de água, por cerca de 20 minutos.
Em seguida, bata no liquidificador, acrescentando 1 pitada de sal.
Guarde em jarra de vidro esterilizada ou pote de vidro, bem fechado, na geladeira.
Para bebês, pode fazer cozido, como um mingau ralo, para garantir a segurança alimentar.
Coloque 250ml de água para cada 3 colheres de aveia, e leve ao fogo, com uma pitada de sal.
Para dar mais sabor, coloque raspas de laranja, bata com uma fruta doce, acrescente baunilha em favas ou cacau, alfarroba…
Evite alimentos crus para bebês pequenos, pelo risco de contaminação.

LEITE DE GERGELIM ou LINHAÇA
2 xícaras de água
4 colheres de sopa de sementes de gergelim
Deixe as sementes de molho por cerca de 3 a 4 horas. Bata no liquidificador, depois coe.
Esse tipo de leite é melhor para uso em receitas como de pães, bolos, etc.
Não é aconselhável a ingestão de gergelim ou linhaça em quantidades maiores que 1 colher de café ao dia para crianças muito pequenas.
Essas sementes devem ser sempre hidratadas ou germinadas, e oferecidas sem a casca.
O gergelim é alergênico, portanto não deve ser oferecido aos bebês e crianças menores de 1 ano, a menos que comprovado que não há risco para a saúde. 

LEITE DE CASTANHAS com AVEIA
1/2 litro de água fervente
3 castanhas do Pará
2 colheres de sopa de flocos de aveia
1 pitada de sal
Deixe de molho por cerca de 1 hora, depois bata tudo no liquidificador. Coe. Pronto.
Ideal para uso em receitas de bolos, bolinhos, tortas, etc.
As castanhas e nozes possuem potencial alergênico, e elementos tóxicos se ingeridos em quantidade superior á recomendada ao dia.
O consumo de frutas oleaginosas deve ser extremamente moderado para crianças menores.

LEITE DE ARROZ
1 xícara de arroz cru lavado (prefira arroz moti, arbóreo ou integral)
4 xícaras de água, 1 pitada de sal marinho
Deixar de molho por cerca de 4 horas.
Coloque o arroz para cozinhar em fogo baixo, até que fique cozido e empapado. Não deixe a água secar. O caldo deve estar com os níveis sempre acima dos grãos de arroz, mesmo depois de cozido.
Deixe esfriar. Coloque a água do cozido com auxilio de uma concha, e algumas colheres do arroz já cozido, no liquidificador, com a própria água.
Para acrescentar cálcio á receita, coloque 2 castanhas de molho em água fervente, por 4 horas, e bata junto com o arroz, ou acrescente 1 colher de café de gergelim ou linhaça germinados ou hidratados, ou misture o arroz com quinoa, que é rica em cálcio. Coe em coador de pano grande (de café ou similar).

LEITE DE COCO
Limpe 2 cocos médios. Retire a polpa. Pique e bata no processador ou liquidificador, com pouca água do próprio coco.
Transfira para um pano fino e limpo (tipo tule), ou uma peneira extrafina. Esprema para tirar todo o seu leite.
Ou faça dessa maneira:
Coloque o bagaço do coco em uma vasilha.
Misture com água. Deixe de molho por 30 minutos.
A seguir, despeje em um coador de pano e esprema bem.
Guarde em jarra de vidro esterilizada.

LEITE DE QUINOA
1/2 copo de grãos de quinoa lavada
2 xícaras de água filtrada
Coloque a quinoa de molho em água, em uma tigela de vidro.
Cubra com uma tampa ou filme plástico. Deixe na geladeira durante a noite.
Na manhã seguinte, escorra a quinoa e passe em água limpa.
Coloque em uma panela, junte as 2 xícaras de água e leve ao fogo até ferver. Deixe amornar e bata no liquidificador, acrescentado água aos poucos, se necessário. Coe utilizando coador de pano grande (de café).

LEITE DE AMÊNDOAS DOCES
Coloque as amêndoas de molho (200g) em uma vasilha com cerca de dois dedos acima.
Deixe por cerca de 1 hora. Despreze a água. Bata com água (1 litro). Utilize baunilha em favas, cacau, alfarroba ou frutas doces para dar um up no sabor! Leites de castanhas, nozes, gergelim ou linhaça devem ser consumidos com moderação, pois possuem substâncias que podem causar problemas se ingeridas acima da quantidade diária recomendada.
 



quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

10.12 | Oficina Biscoitos de Natal


Vamos encerrar nossa programação do ano com essa oficina deliciosa do Mini Chef Frau Bondan!

As crianças irão preparar biscoitinhos de gengibre e depois poderão ainda confeita-los! Vão ganhar receita e certificado para levar pra casa! 

Faça a inscrição do filhote pelo telefone 3282.5349! As vagas são limitadas!

10h às 12h
A partir de 3 anos
R$70
*Inclui lanche, certificado e receita.

Esperamos vocês!

terça-feira, 29 de novembro de 2016

O poder das castanhas


Por Letícia Oliveira

Muita gente não sabe o que são as oleaginosas e quem sabe na maioria das vezes tem dúvidas relacionadas a quanto consumir, a partir de qual idade e em qual horário. Né? Então vamos por partes! Sou apaixonada por oleaginosas, elas sempre estão presentes na minha rotina e nos cardápios dos meus pacientes.

São: castanha do pará, castanha de caju,  macadãmia, pistache, avelã, amêndoas, nozes e amendoins, elas proporcionam diversos benefícios quando inseridas na alimentação dos pequenos. São fontes das chamadas gorduras boas, as monoinsaturadas e as poli-insaturadas, que protegem o coração, tem um efeito antiinflamatório previnem o envelhecimento cerebral, reduzem o risco de alguns tipos de câncer, melhoram o desempenho nas atividades físicas, reduzem riscos de obesidade, diabetes e hipertensão... se eu for ficar citando aqui vou passar o texto inteiro falando só de benefícios... então para finalizar: melhoram o humor, diminuem estresse e ansiedade e para os vegetarianos e veganos que estão sempre no meu coração, essas sementinhas quase que milagrosas também são boas fontes de proteínas.

A dica é consumir sempre nos lanches intermediários da manhã ou da tarde, e também antes de dormir, na ceia. A quantidade é algo individual, e deve ser balanceada com o consumo do dia inteiro, para isso procure um nutricionista. Meu conselho é não ultrapassar 2 porções diárias (uma porção é mais ou menos uma colher de sopa rasa), isso serve para crianças acima de dois anos e também para adultos. No caso da castanha do pará não se deve consumir mais do que 2 ou 3 unidades por dia, isto porque ela é rica em selênio, um potente antioxidante que em excesso pode fazer mal.

E os bebês? Podem também! A partir dos 6/7 meses dependendo de como foi a introdução alimentar. Mas neste caso deve se usar bem trituradinha misturada em uma fruta pra não correr o risco dos tão temidos engasgos.

Alias, castanhas devem ser preferencialmente consumidas associadas as frutas, pois melhoram a absorção dos nutrientes, dão mais sensação de saciedade e ajudam a nivelar os índices de glicose no sangue que a fruta pode provocar.

E qual a melhor oleaginosa para meu filho? O melhor de tudo na alimentação é sempre a variedade né? No caso das oleaginosas cada uma tem uma proporção de ácidos graxos diferentes (aqueles famosos ômegas 3, 6 e 9), por isso cada uma trará um benefício específico, como diminuição do colesterol “ruim”, aumento do “bom”, controle hormonal e de triglicerídeos. Então varie, pode fazer misturinhas delas trituradas para os filhotes também.

A melhor maneira de consumir as oleaginosas é comprando a versão “in natura”, sem sal e deixando de molho por algumas horas pois esse processo elimina alguns componentes químicos que chamamos de antinutrientes (atrapalham a absorção dos nutrientes), depois é só você torrar no forno para ficar crocante de novo.

Temos também as versões dos “leites” vegetais, que eu adoro para fazer receitas de bolos, biscoitos, mingais e vitaminas. Não substituem o leite de vaca e nem tem essa função, cada um no seu quadrado né? Procure um nutricionista especializado em alimentação vegana caso queira retirar os lácteos da rotina do seu filho, só ele vai saber fazer as substituições necessárias.

Receitinha:
LEITE DE CASTANHAS com AVEIA
1/2 litro de água fervente
3 castanhas do Pará
2 colheres de sopa de flocos de aveia
1 pitada de sal
Deixe de molho por cerca de 2 horas, depois bata tudo no liquidificador.
Coe numa peneira bem fininha ou tecido de algodão limpo e pronto. As vezes coloco umas gotinhas ou fava de baunilhas também. E a farinha que sobrar na peneira pode usar na massa.
Ideal para uso em receitas de bolos, biscoitos, bolinhos, tortas, pães.


segunda-feira, 21 de novembro de 2016

26.11 | Sensações



Vem aí a segunda edição do evento Sensações! Uma manhã para os bebês e crianças se divertirem e explorarem sensações nunca sentidas antes! 

O evento é gratuito e não precisa fazer inscrição! =)

Oficina Invenção e Descoberta do Brincar | Manto Infância

Vivência que oferece à criança a possibilidade de explorar diversos materiais, incentivando que ela seja curiosa, crie e imagine. Criamos um espaço de interação entre crianças, família e objetos, para que possam descobrir um novo modo de interagir e brincar juntos.

Oficina dos 7 sentidos | Manto Infância 

Vamos brincar e conhecer melhor os nossos 7 sentidos? Isso mesmo! Além dos cinco que todos conhecemos, nosso corpo funciona também com o sentido vestibular, que nos ajuda a organizar os nossos movimentos e equilíbrio, e com o sentido proprioceptivo, responsável por nos informar a posição do nosso corpo no espaço. É através dos nossos 7 sentidos que interagimos e percebemos o mundo ao nosso redor. Por isso é tão importante que o nosso corpo se desenvolva experimentando cada dia um pouquinho mais sobre eles.

Oficina de Musicalização | Pé de Moleque e Ora bolinhas


Os pequetitos irão experimentar instrumentos com essa dupla super querida, cantando e tocando músicas gostosas da infância. Além disso, vamos preparar um cantinho para as crianças produzirem, com a ajuda dos pais, chocalhos de gravetinho! 


Fotos Bem-me-quer

A Bem-me-quer fotos vai ficar responsável pelos lindos registros dessa manhã!

E para refrescar nossa manhã, vai ter Bike da Santo Gelinho e Delicias da Magaly Ponto Saudável!

26.11| 10h às 12h
Ora bolinhas | Rua Raul Pompéia, 111 São Pedro
Informações: 3282.5349


Esperamos vocês!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Porque escolher orgânicos

Foto retirada da Internet

Para iniciar, gostaria de me apresentar...
Meu nome é Letícia, sou nutricionista há 5 anos, trabalho com alimentação infantil há 4. Caí sem querer nessa área da nutrição e me encantei, trabalhar com criança pra mim é muito desafiador e ao mesmo tempo traz paz, aprendizado e muita satisfação. A minha meta na vida ou uma delas é trazer saúde e bem estar para os pequenos e assim mudar uma porçãozinha de mundo para melhor e mais natural possível. Gosto de cuidar do outro, e nada melhor que cuidar dos pequenos humaninhos que vão tocar esse mundo. Nasci e fui criada no interior de minas, por isso minha ligação com o alimento é afetiva, vem de aromas, sabores, causos, livros de receitas escritos por vó, alimentos que chagavam da fazenda cada um na sua época do ano e é assim que monto minhas condutas, cardápios e orientações nutricionais, com tudo que for de mais natural e caseiro possível! Por isso hoje resolvi começar falando de orgânicos. 

Alimento orgânico, é qualquer produto animal ou vegetal obtido sem a utilização de produtos químicos que favoreçam o seu crescimento de forma não natural.

A grande vantagem disso, além da produção de alimentos mais ricos em nutrientes, saudáveis e naturais, é a preservação do solo, do meio ambiente, da agricultura sustentável e familiar. Os agrotóxicos fazem com que os alimentos tenham baixo valor nutricional e podem causar doenças, além de poluir a água, o ar, a terra, flora e fauna.

A agricultura orgânica restaura a biodiversidade, protege a qualidade da água, e os animais que se abastecem dela, evita erosão do solo, protege futuras gerações de contaminações químicas, economiza energia, ajuda pequenos agricultores a sustentar suas famílias.

Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo e muito mais saborosos. Possuem menor teor de água na sua composição, quando comparados com os alimentos convencionais por isso os nutrientes ficam mais concentrados. Normalmente são colhidos poucos dias antes do consumo, os insumos chegam na sua mesa bem mais fresquinhos e com características naturais dos alimentos que crescem no seu devido tempo e local. Não é sensacional respeitar o tempo das coisas?! Isso permite o fortalecimento da nossa saúde, bem como os mecanismos de defesa dos nosso organismo.

O comércio de alimentos orgânicos tem crescido e é possível escolher na prateleira de supermercados, em feirinhas e até pedir em casa através de sites e empresas que fazem esse trabalho delivery, costuma ter um preço um pouquinho mais alto do que os convencionais pois exigem mais tempo e cuidado no cultivo.

Você também pode optar por ter uma hortinha em casa, isso será maravilhoso para que o seu filho tenha contato com a natureza, saiba de onde vem o alimento e consequentemente tenha mais prazer em consumir os tais “verdinhos”.

“Estamos legando às futuras gerações a esperança de uma vida justa e harmoniosa neste planeta. Consumindo orgânicos, desenvolvemos nosso papel de agentes de transformação social e ambiental, praticando um exercício de cidadania” (fonte: ministério da agricultura).

Importante lembrar que mesmo o produto orgânico precisa ser higienizado, pois etapas como a água que rega, contato com a terra, manuseio humano e transporte podem causar contaminação.

Vale pensar também que industrializados orgânicos podem ter sal, gorduras ruins e outros elementos que não são saudáveis na sua composição. Tipo: pode ser orgânico e frito, né? Ai não faz tão bem assim! Fiquem ligados aos rótulos e selos de regulamentação.

Consuma alimentos naturais e caseiros na sua rotina e dos seus filhos! Deixe as embalagens para dias esporádicos, nunca para o dia a dia.